DESIGNLAB

Design, Tipografia e Multimédia.

Archive for October, 2008

Links do dia

(Anúncio no Carga de Trabalhos)

Mais uma semana, mas uma fornada de links. Esta semana decidi iniciar o post com um “rant” profissional- a oferta de oportunidades de estágio não remunerado sem promessas, ou melhor, com a promessa da não-contratação! Quando recebi isto por e-mail do Paulo S. (já não subscrevo o Carga), não levei muito a sério, mas ficou para aqui a fermentar… e esta é nova até para mim. Escreveu o Paulo:

Já viste esta pérola?

http://www.cargadetrabalhos.net/2008/10/23/estagios-nao-remunerados-design/

se achares pertinente, publica isto no teu blog – a escravatura descarada no seu melhor – quanto mais e melhor essas situações forem denunciadas, melhor…

Pois bem, aqui está. Assim que segui o link para o Carga, descobri:

A Winicio oferece dois estágios não remunerados a recém licenciados nas áreas de Design de Comunicação ou similar.

Precisamos de cromos que dominem, ou estejam a caminho, os adobes: photoshop (maquetização e pós produção), illustrator (desenho vectorial e arte-finalização) e indesign (paginação e produção editorial) e ainda damos preferência a conhecimentos de modelação e animação 3D.

Se os estágios correrem bem, podem sempre ficar por cá a fazer um estágio profissional.

Se os estágios profissionais ….

Mais nada? Esqueceram-se de pedir qualificações a tirar cafés!… Ah… e o melhor dos melhores (para mim, completamente nova) isto é um estágio para fazer um estágio!… Mesmo para uma empresa de criativos, acho que é uma ideia “muito original”…

Bom, isto pode ser rapidamente atribuído à crise e à falta de emprego, ao excesso de licenciados… Não culpem só a crise. Em discussões recentes, tenho-me posicionado sempre entre “a culpa é das pessoas que aceitam cada vez mais estes estágios” e “um tipo sem experiência tem que se sujeitar”. Mas este anuncio acaba pura e simplesmente com qualquer ponto de vista e qualquer discussão! Por isso, manifesto a minha [nova] posição oficial: todos nós, além de recusar estas ofertas, devíamos deixar bem claro que são insultuosas, não fomentam a economia, nem a competitividade, nem a profissionalização/especialização e muito menos a evolução das próprias empresas (apenas a facturação a curto prazo). Além de ser um completo desrespeito profissional, acho que devíamos começar a responder no mesmo registo. Para as pessoas que estão sem emprego, montem um Blog, vendam as vossas capacidades pessoais, fomentem o negócio on-line (Amazon, eBay,… sei lá!) Na era do empreendedorismo, para trabalhar para aquecer, mais vale fazê-lo por conta própria. Nunca fui muito desta opinião, mas estamos a chegar a um ponto que, sinceramente…

Bom, sem mais, os links do dia:

  • Rotoball – Video Colaborativo;
  • Resultados do Calendário Shift.jp;
  • Lightgreen – Ariol (Animação), História da Comunicação Visual e Worldwide Logo Design Annual;
  • Alt.Prt.Sc (2º Episódio);
  • Vector (Artigo sobre mapas na revista on-line);
  • Interact (Artigo sobre redes na revista on-line);
  • Tipographia – novo* Blog;
  • Newsmap;
  • Resumo dos links do ILT.

Read the rest of this entry »

Curso de Design de Tipos, IADE

A propósito de um novo Blog acrescentado ao Blogroll – http://tipografiaemportugal.blogspot.com/ – aproveito para divulgar a notícia que lá recolhi: Curso de Desenho de Tipos de Letra | 4ª Edição, IADE.

Destinatários
O âmbito deste curso destina-se a, preferencialmente, a profissionais e estudantes da área do design, arquitectura, ou em áreas relacionadas. É exigida experiência em programas de desenho vectorial, como por exemplo o Adobe Illustrator ou o Macromedia Freehand [...] o desenvolvimento digital do tipo de letra será realizado em FontLab Studio.

Duração
36 horas

Horário
Terças e Quintas, das 19h30 às 22h30

As inscrições para o Curso de Desenho de Tipos de Letra encontram-se abertas, devendo para isso os interessados contactar o Gabinete de Pós-Graduações e Formação Avançada | info@iade.pt, onde poderão obter todas as informações necessárias ao processo de inscrição.

[...] até dia 31 de Outubro de 2008.

Orientação
Rúben Dias e Ricardo Santos

Laboratório de Criação Digital (AZ)

(Cartaz de divulgação no site da AZ)

O Laboratório de Criação Digital da Audiência Zero já “abriu”. Tem proporcionado sessões regulares, abertas a todos os interessados e gratuitas:

O Laboratório de Criação Digital é um projecto que visa a livre partilha de conhecimentos, ideias e experiências com o propósito de potenciar a produção colaborativa multidisciplinar, que se pretende ver materializada em instalações, performances e demais manifestações criativas. Pretende-se com este projecto dar um passo importante no Centro de Criatividade e Tecnologia, passando da organização de actividades de transmissão de conhecimentos – workshops e cursos – para actividades de aplicação prática desses mesmos conhecimentos

Pessoalmente ainda não tive oportunidade de por lá passar, mas para matara a curiosidade, tenho espreitado o Blog (http://www.audienciazero.org/lcd/) onde fiquei a saber que irão mudar a sessão da próxima terça-feira (amanhã) para quarta. Se tudo correr bem dou lá um pulo quando regressar de Aveiro.

Para que não restem dúvidas, na próxima terça não há LCD, é na quarta. A sessão de quarta integra a palestra e demoshow do Filipe Cruz, não percam, e não se esqueçam de divulgar. Antes e depois da palestra (que começa às 21h30) o LCD realiza-se nos moldes do costume.

(Pormenor da imagem do site do Filipe Cruz)

Dêem uma espreitadela no programa da próxima sessão no Blog do LCD:
http://www.audienciazero.org/lcd/2008/10/14/lcd-talks-1-demoscene-arte-em-tempo-real/

Ou no site da Audiência Zero:
http://www.audienciazero.org/cct/component/content/article/17/141

A primeira edição das “LCD Talks” será já no próximo dia 22 de Outubro por volta das 21:30, no espaço do Laboratório de Criação Digital na Galeria Arménio Losa em S. Mamede de Infesta. A entrada, tal como a participação nas actividades do LCD, é livre.

Encontramo-nos por lá?

Links do dia

(Tard Cards 2,  Unexploded Ordnance)

Mais uma edição dos links do dia, com uma semana de atraso. Vou tentar recuperar o tempo perdido, desta feita, iniciada em plena assistência de um seminário em Aveiro. O objectivo é ambicioso, mas, como é óbvio e por questões práticas, impossível – publicar todas as referências coleccionadas estas duas semanas. Eram aproximadamente 100, e, na minha caixa de correio em links, mails e sites, ainda conto 66 para ver e verificar… por isso tenho material para expor nos próximos tempos.

Queria ainda deixar as referências a dois links que acrescentei no Blogroll (e no Google Reader). O primeiro, que pensava inactivo, são os Grandes Armazéns do Design de Mário Moura. Vale a pena passar por lá.  E o segundo, encontrei a escrever este post e foi uma surpresa agradável. Nada mais nada menos, do que o Blog do Jorge dos Reis, professor, autor e artista. Um blog ainda meio embrionário, mas a manter debaixo de olho.

Sem mais, a edição desta semana conta com:

Concursos:

  • Type Tart Cards – Call for Entries (YouPlus, UK);
  • Zemos98 – Call for Videos (BE);
  • Prémio João Branco (PT);

Conferências:

  • I Conferência de Jornalismo e de Investigação e Novos Meios Tecnológicos;

Design, Tipografia e Ilustração:

  • Princípios de Design e de filosofia da Google;
  • Fonte ou Tipo? Afinal em que é que ficamos… mais uma acha para a fogueira;
  • Edição número 20 da revista CRU-A;

Web e Multimédia:

  • O Estado da Blogosfera;
  • Steven Johnson @ TED;

Read the rest of this entry »

Desligar o autoplay no Windows

(Turn Off Autoplay Properties no Group Policies do Windows XP)

Nestas últimas semanas já desliguei o Autoplay do Windows XP um bom punhado de vezes. E, como nunca me lembro como se faz, lá vou eu ao Google procurar o site onde vi isso pela primeira vez, mas nunca o encontro. Acabo sempre por hesitar nos procedimentos, mas a verdade é que a situação é resolvida. O facto é que me irrita ter que o fazer, ter que procurar a informação, etc.

Tenho que optar por este procedimento para acabar com os “azares” dos vírus nas pen drives dos alunos e das que fazem incursões nos próprios computadores da Universidade, pois os vírus como o “Knight” abundam. São relativamente inofensivos, mas são extremamente irritantes.

Enquanto não tenho um sistema Mac, ou Linux vou ter que fazer esta pequena operação que recomendo a todos os que prezam o seu sistema operativo da Microsoft. No entanto, quem gosta de colocar um DVD ou CD e ele abrir automaticamente, aviso desde já que não deve fazer os procedimentos que explico à frente. Não se pode ter tudo…

Read the rest of this entry »

Links do dia

(Liz Diller, TED, 2007)

Pelo andar da carruagem, vou ter que renomear estes posts semanais dos links do dia para qualquer coisa como “post único da semana”… Realmente, voltar ao estudo está a consumir-me o tempo livre que tinha para passear pela nuvem. De qualquer forma, e como prometido, não quero abandonar esta pequena colecção semanal.

Dado que não tenho tido tempo para mais, experimento ainda um novo formato, mais miscelâneo, combinando os links da web, leituras feitas, etc… até porque, como já disse o Prof. Armando M., “as palavras são como as enguias” e é difícil segura-las num só tema. [Na realidade, o Prof. Armando referia-se ao uso dos conceitos, mas decidi apropriar-me da expressão num contexto ligeiramente diferente. Aliás, era precisamente esta corrupção de conceitos a que se referia!]

Ficaram de fora (no mínimo) 56 referências das duas últimas semanas que vou tentar postar aos poucos. Por isso, se nestes próximos tempos for um pouco omisso…

Sem mais demoras, os links do dia. O destaque da semana vai para dois links muito particulares. O primeiro é um podcast/conferência da TED sobre arquitectura. Escusado será dizer que é absolutamente fenomenal, como qualquer outro vídeo na TED. Uma vez que falámos em arquitectos, o segundo link é de um autor, arquitecto de formação, mas referência incontornável quando falamos no processo criativo aplicado ao Design – Bryan Lawson. Por fim, deixo alguns links mais relacionados com a Web e com a tipografia. Disfrutem!

Architecture is a special effects machine – Liz Diller (2007) – Sempre soube que os Arquitectos eram uma raça de seres estranho e muito freaks… No entanto, o primeiro e o último trabalho que a Liz Diller apresenta nesta conferência são absolutamente geniais. Basicamente, a premissa que Diller usa é que a Arquitectura é uma forma de criar efeitos especiais. Ok, até aqui tudo bem, mas quando começa a conferência a dizer que queriam construir um edifício imaterial… bom… estes foram 19 dos melhores minutos que tive durante a semana. Recomendo a visualização. Realmente inspirador.

About this talk

In this engrossing EG talk, architect Liz Diller shares her firm DS+R’s more unusual work, including the Blur Building, whose walls are made of fog, and the revamped Alice Tully Hall, which is wrapped in glowing wooden skin.

About Liz Diller

Liz Diller and her maverick firm DS+R bring a groundbreaking approach to big and small projects in architecture, urban design and art — playing with new materials, tampering with space and… Full bio and more links  »

Quero aproveitar para avisar que não percam os vídeos do George Dyson e da Carmen Agra Deedy. Geniais! A maneira mais fácil dos obter é subscrever o podcast da TED com o iTunes…

How Designers Think, Fourth Edition Bryan Lawson

Best Price $28.05, or Buy New $36.85

Bom… Este foi o livro que viajou comigo nesta última semana. Comprei-o na FNAC do Gaia Shoping, mas os 10 euros que se poupam a encomendar na Amazon compensam.

O livro foi escrito por um arquitecto (de formação de base), mas as teorias são generalizadas para “O Processo de Design” de uma forma geral. Não entra nas teorias da criatividade e concentra-se na criação e reflexão sobre de modelos/mapas sobre o processo de criação. É um óptimo livro para todos os que leccionam na área criativa e pode ser uma referência muito interessante para os próprios alunos.

Conceptualmente o estúdio é um processo de aprendizagem por prática. No qual os alunos são confrontados com uma série de problemas para resolver ao contrário de os estudar e/ou analisar.

Uma das fraquezas deste modelo tradicional de estúdio é que os alunos falham constantemente no processo de reflexão sobre o próprio processo, dado que investem tanta energia no produto final.

(Lawson, 2005: 7)

Os casos práticos e exemplos são bastante elucidativos e é completamente exaustivo na tentativa de sistematizar e esquematizar múltiplas abordagens ao processo de criação – Modelos de Vistas, Modelo dos Constrangimentos (que apresento uma interpretação abaixo), Abordagem do Problema, etc…

(Modelo dos Constrangimentos/Critérios, Lawson, 2005: p 106)

Apesar de amplamente ilustrado (com casos e figuras) a única falha é não ter exemplos mais concretos (como que sugestões) de actividades ou jogos a realizar, se bem que a referência ao PIG é muito engraçada. Uma outra fraqueza (?) é o facto do livro ser pouco actual. Isto é, apesar de actualizado (edição) o grande grupo de exemplos e modelos expostos são baseados em autores e teorias essencialmente de meados da década de 60 ao final da 80… De qualquer forma, em combinação com o Product Design de Mike Baxter (que ainda não comprei) fazem uma dupla fenomenal a ilustrar os conceitos, modelos e metodologias criativas aplicadas ao Design.

Para um modelo de Design

É muito difícil saber como analisar os dados que temos, dado que o que os designers escrevem ou dizem não deve ser inteiramente de fiar. Os escritos dos designers são notoriamente enganadores e isto pode dever-se a várias razões:

Primeiro porque os designers não são comunicadores naturais da palavra escrita;

Segundo, porque poderão estar a escrever de forma a impressionar em vez de explicar e dificilmente revelam as suas dúvidas e fraquezas;

Em terceiro lugar porque os designers estão habituados a vender as suas ideias e parecem ter desenvolvido um raciocínio “post-hoc” do processo que esconde os labirintos que percorreram revelando somente um progresso lógico e inexorável do que desejam apresentar como a resposta certa.

(Lawson, 2005: 288)

Enfim, o livro é muito pouco conclusivo, mas ajuda a parar e pensar um pouco sobre a nossa actividade profissional.

Muito deste livro está disponível no Google Books, mas a visualização das partes mais interessantes foi deixada de fora (tal como o esquema original cuja interpretação que apresento acima…)

Brave Font – Um vídeo cómico na sequência da promoção do lançamento do Suitcase Fusion 2. Ok, não é um “Little Yellow Riding Hood”, nem um “Font Conference”, ambos já aqui mencionados (usem a caixa do search). Mas, enquanto produção artesanal, tem alguma piada pelos trocadilhos geeks que fazem… Listei aqui a referência original do ILT para poderem ver os outros vídeos que o John Boardley postou no Vimeo, especialmente o Firefly Letterpress.

[UPDATE] Ao que parece os tipos da Fontshop têm outra opinião… ;)

The Web is Agreement – Na realidade, esta referência “colhi-a” da porta do gabinete ao lado do meu no DeCA. Daí que no início deste post comecei com um discurso que remetia para um post que não vive só da colecção de links, mas também do que fui vivendo esta semana… The Web is Agreement é um dos melhores mapas [históricos] que vi de sempre! No mote do post recente da história dos computadores, podemos ver vários momentos actuais identificados neste pequeno mapa. Ah! Está publicado com uma licença Creative Commons, por isso qualquer um pode puxar a versão em alta definição, imprimir, re-desenhar, etc… Vou imprimir e colocar no meu escritório!

Workshop de Caligrafia na ATypI 2008 – Talvez a Rússia não seja para todos [como observado na infinita troca de galherdetes da mailing list da ATypI], por isso aqui fica o stream de imagens do Workshop de Tipografia conduzido pelo Yomar Augusto. Lembro que também publiquei neste site (ainda no tempo em que estava na FBAUP) a passagem dele por Portugal, e, ao que agora muita gente deve estar a pensar como eu: “Bolas!…” É sempre bom ver a evolução da actividade dos participantes e [tentar decifrar] o que fazem.

Free! Why $0.00 Is the Future of Business – Um excelente artigo relacionado com o efeito da Cauda Longa. Via Future Places. Aproveito para lembrar que o Future Places já tem o catálogo disponivel e os eventos arrancam esta semana! Vemo-nos por lá?

Dicionário Electrónico da Ciencia da Informação – Apesar do tom meio “abrasileirado” do português (eu sei que isto não me devia incomodar, mas…) este é um excelente recurso para pavimentar as fundações de qualquer estudo nos meios de comunicação digital.

Por hoje (e com dois dias de atraso) é tudo. Vou tentar recuperar o ritmo, mas também só o poderei fazer depois de sábado… até lá!

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.

Join 133 other followers

%d bloggers like this: