DESIGNLAB

Design, Tipografia e Multimédia.

Archive for FBAUP

Tudo Isto é Design 2

Cartaz da Conferência TIED2

Cartaz da Conferência TIED2

Amanhã (quinta-feira dia 13) vou estar à procura de unicórnios na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Pelos vistos fiquei logo em primeiro lugar no alinhamento (às 17:10)… No programa seguem-se a Rita Coelho, o Pedro Serapicos, o Julio Dolbeth, IP4 Magazine, o Rui Ricardo, Game Studio 78, a Inês Melo, o José Carneiro, e por fim, o Adriano Rangel.

Agora que conheço o programa e o alinhamento, começa a crescer um certo nervoso miudinho… Até porque nunca fiz uma apresentação neste formato acelerado Ingnite/PechaKucha. Mesmo para mim, que gosto de falar rápido, vai ser um desafio interessante!

Mas vai ser ótimo rever amigos e colegas que admiro—apareçam para trocar ideias!

Provas Públicas de Projectos Editoriais

Mapa das Provas Públicas dos Mestrandos da 1.ª Edição do MDGPE

A semana passada recebi do Prof. Eduardo Aires um email com o mapa das provas públicas da primeira edição do Mestrado de Design Gráfico e Projectos Editoriais da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Por afinidade com os professores, colegas e amigos envolvidos neste projecto, confesso que estou muito curioso para assisstir aos primeiros¹ resultados.

Vou lá dar um salto ainda Hoje à tarde dei lá um salto para assistir às provas da Joana Sobral. Orientada pelo Prof. Aires e pelo Prof. Mário Moura a prova tem teve como arguente o João Fernandes. Nada mais, nada menos do que o director do Museu de Serralves—é neste tipo de detalhes que acho que a direcção do mestrado se está a portar muito bem—as relações com a sociedade e especialistas da área estão a ser bem exploradas. Ainda não sei se João Fernandes tem experiência neste tipo de provas, nem sequer sei se é doutorado (um requisito normal para a arguição de provas, mas que pode ser contornado), por isso estou expectante para ver a mas isto não o impediu de fazer um brilharete na arguição.

Depois da exposição mais ou menos cuidada de Joana², João Fernandes levantou montes de questões sobre a própria história e conceito do que é um livro de artista. A intervenção foi pouco ou nada interactiva com a candidata, que de uma forma ou de outra acabou por responder. Mas, definitivamente, quem me impressionou pela capacidade de articulação com várias actividades de criação e conhecimento técnico, bibliográfico e histórico sobre os livros de artista foi o Director do Museu de Serralves. Por um lado pode ser mais “pés assentes na terra”, mas por outro… Valeu a pena. Acho que este Domingo vou voltar a Serralves só para ver se eles ainda têm lá parte da colecção de livros na Biblioteca!… Valeu a pena.

De qualquer forma, se tudo correr como previsto, ainda lá passo novamente na próxima quarta-feira para ver as provas da Ana Luísa Candeias. Mais uma vez orientada pelo Prof. Eduardo Aires, mas desta vez co-orientada pelo Prof. António Modesto. Como já aqui disse, qualquer oportunidade de ouvir o Prof. Modesto falar é um privilégio. A arguição fica à responsabilidade do meu colega do Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro, o Prof. Francisco Providência. Já tenho tido oportunidades de o ouvir falar, e mesmo conversar com ele. Por isso, estou à espera de uma arguição bem carregada, e espero que a Ana Luísa “dê luta”, porque este é o tipo de prova que se pode tornar muito interessante para a assistência—recomendo!

1. Como alguns sabem, co-orientei o trabalho prático (desenvolvimento de uma fonte Open Type) e a dissertação do Diego Henrique, que, para além de o ter apresentado na última ATypI em Dublin, já completou as provas no passado dia 20 de Outubro de 2010.

2. Conheço ainda muito pouco sobre estes objectos de criação artística, sendo a Johanna Drucker minha única referência na área. Como não li a dissertação, nem vi o objecto final, fiquei só com as impressões recolhidas durante a apresentação… Achei que a apresentação da contextualização durante a prova foi superficial, concentrando-se demasiado a partir da década de 1960—aspectos realçados por João Fernandes. Também se alongou na explicação da criação de um objecto pessoal, sem perceber muito bem porque o fez… Mas é provável que eu não tenha prestado atenção suficiente, o meu índice de atenção anda por baixo… As imagens, apesar de pequenas, pareciam muito interessantes. Quando estiver de novo online, tento pesquisar a dissertação na Biblioteca da FBAUP. No fim do dia, pareceu-me interessante—vou querer ler mais um pouco!

Enric Jardí @ FBAUP

Cartaz de divulgação

Na próxima Sexta-feira, dia 26 de Novembro, o Designer Enric Jardí vai dar uma conferência sobre Tipografia na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Confesso que pouco mais sei sobre a conferência. Sei que vale a pena ouvir falar (e ler sobre) o Jardí, e que esta é uma oportunidade rara! Por isso, lá estarei, pelas 16:00, na Sala 101 do Pavilhão Carlos Ramos!

Mestrado de Design de Imagem (via word-of-finger)

MESTRADO DE DESIGN DA IMAGEM 2010/2012
Candidaturas até 25 de Junho

Criação de contextos de visibilidade e operação de projectos aplicados, através de dispositivos mediáticos, exposições, programas de desenvolvimento, projectos editoriais e programas de educação e literacia.

http://www.facebook.com/l/bbe73FJwCl3NRi44k3BZDdTjIjQ;www.fba.up.pt/cursos/mestrados/design-da-imagem

Word-of-finger é o termo usado para descrever o marketing através do “teclar” nas redes sociais. Esta era a pequena resenha de Jonathan Keats que estava a ler na última Wired, quando recebo uma mensagem via Facebook — uma mensagem de pedido de divulgação da nova edição do Mestrado de de Design de Imagem do Prof. Adriano Rangel. Uma vez que já o fiz aqui antes, aqui fica a promoção a este programa curricular.

O facto curioso é que mesmo o link fornecido utiliza o Facebook como intermediário. Pessoalmente, creio que a mensagem teria sido muito mais eficaz caso tivesse sido enviada directamente para o email. No entanto, tal como explica Keats, o sucesso destas ferramentas é a monitorização em tempo real, de forma simples, da divulgação. Para mim, dado o boom de parvoíces sociais a que temos assistido nos social media, ainda fica dúvida se este meios estão em ascensão, ou em declínio de reputação. Creio que não tarda nada para as pessoas saltarem do Facebook para a “próxima grande coisa”. Só o tempo dirá…

Em tom de nota, estive na dúvida se o faria aqui, uma vez que as Belas Artes do Porto, apesar de terem sido a minha casa durante muitos anos, são agora a “concorrência” do DeCA… No entanto, neste caso, abro uma excepção. Por variados factores—a amizade que mantenho com as pessoas que organizam o projecto, ou até mesmo pela dissertação que co-orientei já perto do final. Visto por outra perspectiva, não creio que este mestrado seja um concorrente directo aos que oferecemos em Aveiro. É interessante, mas aborda outra área de conhecimento. Acho que temos todos a aprender uns com os outros…

P.S.: Tomei a liberdade de editar ligeiramente a mensagem original

Craig Atkinson @ FBAUP e Galeria Dama Aflita

cartaz_craig[1]

Divulgado pelo GAE e pela newsletter da Galeria Dama Aflita:

Craig Atkinson
"Invasion

INAUGURAÇÃO DA EXPOSIÇÃO DIA 23 DE MAIO (SÁBADO) 17:00h
Galeria Dama Aflita
rua da picaria, 84, Porto

————————————————————————————————–

Craig Atkinson
Master Class

DIA 22 DE MAIO (Sexta) 17:00h , Aula Magna da FBAUP (entrada gratuita)

————————————————————————————————–

craig

Invasão
Exposição de Desenho de Craig Atkinson
23 de Maio a 20 Junho, 2009
Galeria Dama Aflita, Porto
Craig Atkinson, um dos mais importantes e pertinentes ilustradores da actualidade, reúne nesta exposição um conjunto de 200 desenhos.
Recorrendo a várias técnicas e ferramentas, apresenta na Dama Aflita retratos de gente vulgar, apontamentos arquitectónicos, diagramas enigmáticos, publicidade imaginária, edifícios isolados e um sem número de outros desenhos, aos quais junta por vezes frases soltas, títulos de notícias, datas, numa tentativa para rearranjar a realidade. Criando com isso cenários plausíveis para histórias que poderiam muito bem ter acontecido, mas se calhar nunca passaram, literalmente, do papel.
Sobre Craig Atkinson: tem desenvolvido nos últimos anos um invulgar corpo de trabalho, quer na ilustração, com trabalhos para clientes tão variados como The New York Times, Adidas, Computer Arts ou a marca de whisky J&B; quer na vertente mais autoral, com exposições em galerias de relevo, desde a Galeria Ceri Hand, Liverpool, passando pela Lab 101, Los Angeles, ou Galeria 85, Antuérpia, entre outras. É responsável pela Café Royal, editora centrada na distribuição e edição de livros-objecto e fanzines de autor. Nasceu em Liverpool, em 1977.

Comissariado
Paulo Patrício

Dama Aflita
Rua da Picaria, 84
4050-477, Porto

Horários
Qui., Sex. e Sábados das 15h às 19h
Outros dias, por marcação.

Contactos
T: +351 927 203 858
damaaflita@gmail.com
www.damaaflita.com
www.galeriadamaaflita.blogspot.com
www.myspace.com/galeriadamaaflita

Links Úteis
http://www.craigatkinson.co.uk/
http://www.caferoyal.org/

http://www.fba.up.pt/noticias-2/palestra-de-craig-atkinson

Type Design com Fontforge

image

PDF da apresentação de 2009-03-19 (PDF ~64MB)

No final do ano lectivo de 2007-2008 ficou combinado que iria colaborar na disciplina de Estudos de Tipografia leccionada pelo Prof. Mário Moura no âmbito do Mestrado em Design Gráfico e Projectos Editoriais da FBAUP. Uma coisa puxa a outra e acabei por ficar sem tempo para uma colaboração mais séria, mas mesmo assim, fui convidado a fazer duas sessões com o objectivo de implementar uma fonte digital, ou um artefacto que ficasse perto deste resultado.

Assim, na passada sessão (2009-03-19) levei um conjunto de slides (link acima) com o objectivo de despertar a sensibilidade e alertar para a importância do desenho no desenvolvimento de um tipo.

image

Exemplo animado da aplicação do conceito da “front” de Noordzij tal como incluído nos slides da apresentação (SWF ~190KB).

A sessão foi dominada pelas ideias de Gerrit Noordzij, acabámos por discutir muito, desenhar um pouco, e já não deu tempo para começar a digitalizar, mas acho que, no todo, acabou por funcionar bastante bem. No final, para os resistentes, ainda estivemos a fazer uma incursão relâmpago no Fontforge. A maioria dos presentes tinha computadores da Apple e o X11 do Mac não traz as bibliotecas de imagem, o que causou um pouco de confusão (no final acabei por verificar o sucedido nos computadores da sala juntamente com o Prof. Mário Moura – ficheiros necessários aqui).

image

Notas da sessão prática de implementação 2009-04-02 (PDF ~950KB)

Hoje, levo um conjunto de notas (ufa… não há slides!) para passar do esquiço que lhes deixei na última aula à digitalização e implementação do tipo. Efectivamente, é só um pequeno update às notas que levei ao IPCA, mas acho que estão ligeiramente melhores. Infelizmente não há tempo para muito mais…

Estas notas foram compiladas a partir da aplicação e sintetização do Manual do Fontforge, que está cada vez melhor. Juntamente com o livro do Stephen Moye – Fontographer: Type by Design (via Typophile), este é um recurso técnico dificilmente rivalizado.

image

Digitalização dos primeiros esquiços no caderno. Ficheiro Illustrator zipado(~3MB) e PNGs (~17MB)

3 Layers: Scan do caderno (embeded), Esquiços vectoriais e desenho vectorial limpo (descobri ao passar para o Fontforge que o “g” não estava bem unido…).

image

Ficheiros SVG “aos pares” de letras, para custar menos a importar. Nota: Estes ficheiros estão todos com um quadrado envolvente de 1000 pts (EM) que, em conjunto com uma matriz de pontos (Bub da versão do SVG em uso?), será necessário apagar uma vez importados para dentro dos glifos no Fontforge. (~21KB).

image

Ficheiro de teste em Fontforge (SFD, ~12KB).

Por enquanto fica assim. Se tudo correr bem, levo uma modificação/ampliação desta sessão aos alunos de Design do primeiro ano do DeCA ainda este ano. Mas esta é uma colaboração que ainda está a ser estudada e planeada. Talvez até lá dê para desenhar melhor este conjunto de caracteres e implementa-los numa fonte funcional?… Duvido, mas nunca se sabe!

P.S.: Já disse bem aqui do Fontforge compilado para o Mingw, mas depois de me crashar sucessivamente a construir as tabelas de substituição, tenho que admitir que já estou de volta à instalação completa para CygwinX. Além do mais, a versão oficial é muito mais rápida (especialmente na janela das métricas!)

Mestrados em Arte e Tecnologia

(Exame Informática nº 159, pgs. 92-93)

No passado Domingo afirmei que o Mestrado de Type & Media da KABK em Haia era o meu favorito, ou que, pelo menos, seria a minha primeira escolha para um mestrado actualmente. Enquanto essa afirmação era publicada, tive oportunidade de estar a ler descontraidamente a última edição da revista Exame Informática (Setembro 2008, nº 159). O meu espanto foi quando me deparei com uma dupla página dedicada ao Mestrado em Arte e Tecnologia Digital da Universidade do Minho. Uma breve passagem pelo mestrado e as suas exposições e a apresentação de 6 parcerias/projectos muito interessantes (e ainda referem o software Processing em 2 trabalhos).

As pessoas que me conhecem, sabem que concluí o Mestrado em Arte Multimédia pela Universidade do Porto (FBAUP) em 2007 (vejam aqui). Mas a verdade é que se tivesse que escolher hoje, ia ter essa decisão dificultada…

Read the rest of this entry »

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.

Join 130 other followers

%d bloggers like this: