DESIGNLAB

Design, Tipografia e Multimédia.

Archive for Escolas

Vem aí o 5º Encontro de Tipografia! (Parte 2)

ESG

O programa do segundo dia do 5º Encontro de Tipografia abre com uma breve apresentação da ATypI—Association Typographique Internationale. Eu e o Vítor lá estaremos a promover a associação e a tentar mais uma vez que se juntem a nós (para o ano a conferência é em São Paulo!… ). Iremos fazer um breve apanhado da missão da associação e das atividades que promovem.

Seguem-se três apresentações de peso, no painel de comunicações. “Breve estudo da influência da forma das serifas na legibilidade de textos longos” de Carolina Ferreira. Tive oportunidade de interagir um pouco com a Carolina no Typeshares—o grupo do Facebook— e de ver uma pequena imagem da dissertação no Béhance—https://www.behance.net/ferreiracarolina. Apesar de não ter podido participar no estudo, estou super-curioso por saber como o trabalho foi feito e quais os resultados obtidos. Até porque, foi orientada pelo Prof. Diniz Cayolla e pelo Prof. e Designer Dino dos Santos. Não espero menos do que um trabalho espetacular.  Aliás, Carolina: se estiveres a ler isto, aviso-te desde já que te vou cravar uma cópia da dissertação!

Depois segue-se “O Manual do Tipógrafo de Libânio da Silva: Um projecto ubíquo para a prática tipográfica” de Sofia Rodrigues. Outra apresentação que, apesar de não conhecer a autora, quero ver e ouvir com muita atenção. Aliás, qualquer designer português deve ter um interesse nisto. O Libânio é uma referência incontornável na nossa história Tipográfica
 portuguesa e o seu pequeno manual é uma autêntica pérola ;)

Depois segue-se uma apresentação de Yves Peters: “The Ubiquitous Typeface in Movie Posters”. Confesso que esta não é a rubrica que mais me interessa no blog da Fontshop. Mas ter cá um dos editores do site desta foundry é, sem dúvida, uma mais valia.

keynote2

O segundo keynote não precisa de introdução, nem explicação:

Gerry Leonidas é Professor Associado de Tipografia na Universidade de Reading, Inglaterra. Ocupa os seus dias a falar e a escrever sobre tipografia, typeface design e ensino de tipografia. É o Director do Programa MA Typeface Design e do Tdi summer course. www.leonidas.org

Gerry Leonidas irá apresentar a conferência A framework for typographic quality in typeface design

The growth of consciousness about typeface design has brought a rise in the numbers of aspiring typeface designers; that’s a good thing. But the ease with which fonts can now be published online has resulted in the loss of a filter for quality that was in the past embedded in the publishing process. This observation is most evident in the case of non-Latin scripts, where the lack of widely available resources and clear pathways to excellence present a major hurdle to aspiring designers. This talk reports on a current research collaboration between Reading and Google to develop a framework for ensuring a minimum level of typeface and typographic quality that is publicly available, while being agnostic with regard to the design specifics of each typeface.

http://web.ipca.pt/5et/gerrypt.html

Sendo um entusiasta da auto-publicação e da distribuição Open Source de tipos de letra, é escusado dizer quão importante me parece esta conferência atualmente!… Acho que todas as pessoas que usam tipos de letra na sua atividade profissional deviam assistir…

Já na parte da tarde, a conferência prossegue com mais um painel de comunicações e estou mesmo muito curioso e assistir a duas em particular Type in Progress: An investigation how interactive and responsive type can be designed and used as a creative tool” de Stefanie Schwarz. Esta primeira, porque reflete (?) a proposta que não cheguei a terminar para enviar para a conferência… Não conheço a autora, nem tão-pouco o seu trabalho. No entanto, nunca esteve tão em voga o conceito de “responsive typography” como agora. Não sei o que a autora vai frisar—se a questão mais editorial (as escalas, o conteúdo…?) ou como devemos usar as opções da tecnologia atual para criar verdadeiras soluções adaptáveis, tal como defendido por Jason Pamental e Jason Santa Maria. Pessoalmente, tal como tenho vindo a desenvolver com os alunos, a minha abordagem (a revelar talvez num futuro próximo?) centra-se no desenvolvimento progressivo (ou degradação graciosa) de gráficos e detalhes (aplicado normalmente às marcas e logótipos). Vamos ver. Estou muito entusiasmado, até por saber que não estou sozinho nesta abordagem. Novamente… vamos ver! ;)

Segue-se uma dupla que muito admiro e que tenho seguido nos últimos anos. “Foundry-in-a-box: A proposal for frictionless font publishing and distribution” é a comunicação a ser apresentada por Ana Isabel Carvalho & Ricardo Lafuente. Mais uma vez, este é daqueles trabalhos que sei que sei que vou ter que ver. Por um lado, o título tem tudo a ver com a minha posição em relação à produção e distribuição de tipos de letra. Por outro, estes são dois designers & autores que entendem muito bem as questões sociais, tecnológicas e de design envolvidas. A apresentação promete e vai, com certeza apresentar pontos de vista únicos e refrescantes.

keynote1

Por fim, fica à responsabilidade de Dave Crossland apresentar a última keynote  da conferência antes da sessão de fecho: “Control Points” por Dave Crossland:

Today typography is becoming more and more important for us each to express ourselves. Typography has become an extension of who we are. Our choice of words to express the ideas in our minds is as important as our typographic choices that express the emotions in our hearts. Billions of people are now online and each person need fonts that are tailor-made for themselves and their businesses. Libre fonts can fulfil this need, but we need good tools to turn our freedom from an abstract ideal into a reality. In this keynote address, Dave Crossland introduces a new approach to typeface design that is both ubiquitous and unique.

http://web.ipca.pt/5et/davept.html

Dave é um daqueles designers e autores dos quais não preciso apresentar mais, nem novamente. Já tive a oportunidade de o fazer aqui neste blog, no passado. Primeiro num workshop promovido pelo Lafuente: http://pedamado.wordpress.com/2010/06/21/dave-crossland-hacklaviva/. E depois numa conferência que organizei aqui em Aveiro: http://pedamado.wordpress.com/2012/01/04/dave-crossland-aveiro/ , cujos resultados e registo foram divulgados aqui: http://pedamado.wordpress.com/2012/02/09/conferencia-e-workshop-de-dave-crossland-ua/.

Sendo um dos raros designers [unicórnios] que cruza muito bem as áreas gráficas e tecnológicas, é sem sombra de dúvida, um designer a manter debaixo de olho nos próximos 10 anos:

Dave é um type designer inglês que em 2006 decidiu libertar as fontes! Desde então tem estudado e trabalhado para promover uma cultura de comunicação visual livre. Já desenhou centenas de fontes para designers em todo o mundo.

No decurso dos seus estudos no Departamento de Tipografia da Universidade de Reading (2009) desenhou a famosa “Cantarell”, uma fonte humanista contemporânea sem serifa, incluída no lançamento do Google Fonts e também a fonte pré-definida do User Interface do GNOME 3. Actualmente é um “Consultor de Fontes” da Google Web Fonts e um instrutor da equipa Crafting Type.

www.understandingfonts.com/who/dave-crossland/

A sessão irá encerrar depois do keynote de Dave, mas não é o fim. Ainda ficamos para um jantar de gala que irá ser a oportunidade de falar dos resultados, trocar mais umas palavras amigas e quem sabe começar a preparar a próxima edição. Juntem-se a nós na próxima sexta e sábado. Vai ser uma edição fantástica!

——

P.S.: Não se esqueçam de ler a primeira parte deste post, ou de ver detalhes sobre o workshop de Collaborative Type Design.

Uso das Tecnologias da Comunicação

Screenshot 2013-10-30 12.14.02

Conferência Uso das Tecnologias da Comunicação no Ensino Superior Português
Universidade de Aveiro, 7 de fevereiro de 2014
http://cms.ua.pt/TRACER/node/115

O CETAC.MEDIA / Projeto Tracer está a organizar uma conferência sobre o papel que as Tecnologias da Comunicação (TC)—nomeadamente a Web 2.0— têm vindo a assumir na transformação da nossa sociedade.

Esta conferência, organizada no âmbito do projecto TRACER (http://cms.ua.pt/TRACER/), tem por objetivo promover o debate sobre a utilização das TC no Ensino Superior Português (ESP), e destina-se a docentes, investigadores, estudantes de pós-graduação, gestores e responsáveis de IES. As comunicações, que serão reunidas numa publicação que será disponibilizada em acesso aberto, deverão focar-se na apresentação e discussão de resultados de trabalhos de investigação relevantes para a temática da conferência, incluindo quer trabalhos relacionados com o impacto do uso das TC em sala de aula ou em comunidades online quer estudos sobre o desenvolvimento e avaliação de novas soluções tecnológicas.

[…]

Datas importantes

  • Submissão de resumos alargados de artigos ou pósteres: 15 de novembro de 2013
  • Comunicação da decisão do painel de avaliação: 30 de novembro de 2013
  • Submissão das versões finais dos artigos ou pósteres: 31 de dezembro de 2013
  • Inscrição (gratuita) dos autores dos artigos ou pósteres: 31 de dezembro de 2013
  • Inscrição (gratuita) dos participantes: 17 de janeiro de 2014
  • Conferência: 7 de fevereiro de 2014

A data limite de submissão de resumos alargados (3 páginas) é o próximo dia 15 de Novembro. A participação na conferência é gratuita. Participem e/ou vemo-nos por cá! ;)

Via Prof. Fernando R.

Plug&Play 2013

::: PLUG&PLAY ::: 2013 ::: Teaser from PLUG&PLAY on Vimeo.

Só um entrada muito rápida para lembrar que o Plu&Play 2013 já está aí à porta. Começa já amanhã, quarta-feira dia 10 e tem um programa de dois dias que faz inveja a muitas conferências ;)

PLUG&PLAY . Conferência de Design
10 e 11 Abril . Hard Club, Porto

Numa altura em que o termo “crise” domina a actualidade, nada faz mais sentido do que eventos anti-crise. É isso que propõe o Plug&Play, ciclo de conferências de Design de entrada gratuita que promove a livre circulação de conhecimento artístico.

A acontecer a 10 e 11 de Abril, a 4ª edição do Plug&Play regressa a um espaço icónico da cidade do Porto: Hard Club.

A natureza do evento continua fiel à das últimas edições, já que se pretende criar uma conexão entre o meio académico e profissional, onde estudantes da área têm o privilégio de contactar com alguns dos melhores designers nacionais e internacionais. Outro dos objectivos que mobiliza a realização deste projecto é a vontade de impulsionar a área do design,nas suas mais variadas disciplinas, no contexto da cidade do Porto.

Mais informações
http://plugandplay.pt/

Este ano só devo conseguir assistir a um pouco na manhã do segundo dia,… mas vou definitivamente fazer questão de marcar presença! A entrada é gratuita, por isso não há mesmo desculpa para não assistir.

O programa deste ano conta com, no dia 10:

E no dia 11:

Vai valer a pena!

Personal Views 6

Imagem do poster de divulgação oficial

Só uma entrada muito rápida para ajudar a divulgar a nova edição da série de conferências Personal Views na ESAD. Tenho sido um cliente fiel destas conferências sem rival, comissariadas por Andrew Howard. Fico um pouco louco só de pensar que, este ano, infelizmente, não vou poder assistir às primeiras duas conferências por motivos profissionais…

  • Rick Poynor, 9 de Novembro;
  • Tony Brook, 14 de Dezembro;

Enfim…  dois convidados de peso, absolutamente imperdíveis. Mas não se pode ir a todas. espero que alguém assista e resuma online. ou que os registos de vídeo fiquem disponíveis rapidamente.

Depois seguem-se uma série de conferências que espero poder assistir:

  • Heitor Alvelos, 18 de Janeiro;
  • Why Not Associates, 22 Fevereiro;
  • R2, 15 de Março;
  • Michel Bouvet, 19 de Abril;
  • Cyan, 17 de Maio;
  • Ellen Lupton, 7 de Junho;

Marquem já no calendário, porque conferências como estas há poucas! Recomendo vivamente. Mais informações:

Foi muito bom!…

Porque ainda encontro muita gente que me pergunta como correu o III Encontro de Tipografia, acho justo dar uma resposta curta e definitiva – foi bom… foi muito bom! Atrevo-me mesmo a dizer sem qualquer pudor, que, apesar de bastante diferente, foi muito melhor que a conferência que organizámos no ano passado em Aveiro.

A organização está definitivamente de parabéns. Foi incansável em garantir a qualidade de todos os pormenores do evento. Mas, porque apenas uma mensagem curta de apreço não chega, fica aqui a promessa de um artigo mais completo, para breve, com um resumo do que se passou e com algumas imagens.

E não se esqueçam. Para o ano há mais, em Castelo Branco. E já me chegou aos ouvidos que também já há uma organização em curso para 2014!… mas uma coisa de cada vez. Mantenham-se sintonizados! ;)

Workshops de Tipografia

Pormenor do site

Ainda a propósito do III Encontro de Tipografia, aproveito para divulgar os workshops que se vão realizar como pré-programa da conferência. São gratuitos para estudantes (que é uma coisa rara nos dias que correm – a organização está de parabéns!) e para o público em geral fica bastante acessível.

Vai ser abordado o Type Design, o resgate tipográfico urbano e a composição em chumbo. Esta é daquelas oportunidades a não perder. Aqui fica a divulgação enviada pela organização da conferência:

Realização de 3 workshops em antecedência ao Encontro versando sobre as seguintes temáticas:

Workshop 1: Creating type: an introduction to type design
Workshop 2: Photo found typo
Workshop 3: Letterpress

A participação nos workshops é gratuita para alunos das escolas artísticas/design por ordem de inscrição até ao limite máximo de vagas disponíveis.

Público geral: 20€ por inscrição até ao limite máximo de vagas disponíveis.

Para mais informações e inscrições, por favor consultem o nosso website: http://www.esmae-ipp.pt/3et

Provas Públicas de Projectos Editoriais

Mapa das Provas Públicas dos Mestrandos da 1.ª Edição do MDGPE

A semana passada recebi do Prof. Eduardo Aires um email com o mapa das provas públicas da primeira edição do Mestrado de Design Gráfico e Projectos Editoriais da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Por afinidade com os professores, colegas e amigos envolvidos neste projecto, confesso que estou muito curioso para assisstir aos primeiros¹ resultados.

Vou lá dar um salto ainda Hoje à tarde dei lá um salto para assistir às provas da Joana Sobral. Orientada pelo Prof. Aires e pelo Prof. Mário Moura a prova tem teve como arguente o João Fernandes. Nada mais, nada menos do que o director do Museu de Serralves—é neste tipo de detalhes que acho que a direcção do mestrado se está a portar muito bem—as relações com a sociedade e especialistas da área estão a ser bem exploradas. Ainda não sei se João Fernandes tem experiência neste tipo de provas, nem sequer sei se é doutorado (um requisito normal para a arguição de provas, mas que pode ser contornado), por isso estou expectante para ver a mas isto não o impediu de fazer um brilharete na arguição.

Depois da exposição mais ou menos cuidada de Joana², João Fernandes levantou montes de questões sobre a própria história e conceito do que é um livro de artista. A intervenção foi pouco ou nada interactiva com a candidata, que de uma forma ou de outra acabou por responder. Mas, definitivamente, quem me impressionou pela capacidade de articulação com várias actividades de criação e conhecimento técnico, bibliográfico e histórico sobre os livros de artista foi o Director do Museu de Serralves. Por um lado pode ser mais “pés assentes na terra”, mas por outro… Valeu a pena. Acho que este Domingo vou voltar a Serralves só para ver se eles ainda têm lá parte da colecção de livros na Biblioteca!… Valeu a pena.

De qualquer forma, se tudo correr como previsto, ainda lá passo novamente na próxima quarta-feira para ver as provas da Ana Luísa Candeias. Mais uma vez orientada pelo Prof. Eduardo Aires, mas desta vez co-orientada pelo Prof. António Modesto. Como já aqui disse, qualquer oportunidade de ouvir o Prof. Modesto falar é um privilégio. A arguição fica à responsabilidade do meu colega do Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro, o Prof. Francisco Providência. Já tenho tido oportunidades de o ouvir falar, e mesmo conversar com ele. Por isso, estou à espera de uma arguição bem carregada, e espero que a Ana Luísa “dê luta”, porque este é o tipo de prova que se pode tornar muito interessante para a assistência—recomendo!

1. Como alguns sabem, co-orientei o trabalho prático (desenvolvimento de uma fonte Open Type) e a dissertação do Diego Henrique, que, para além de o ter apresentado na última ATypI em Dublin, já completou as provas no passado dia 20 de Outubro de 2010.

2. Conheço ainda muito pouco sobre estes objectos de criação artística, sendo a Johanna Drucker minha única referência na área. Como não li a dissertação, nem vi o objecto final, fiquei só com as impressões recolhidas durante a apresentação… Achei que a apresentação da contextualização durante a prova foi superficial, concentrando-se demasiado a partir da década de 1960—aspectos realçados por João Fernandes. Também se alongou na explicação da criação de um objecto pessoal, sem perceber muito bem porque o fez… Mas é provável que eu não tenha prestado atenção suficiente, o meu índice de atenção anda por baixo… As imagens, apesar de pequenas, pareciam muito interessantes. Quando estiver de novo online, tento pesquisar a dissertação na Biblioteca da FBAUP. No fim do dia, pareceu-me interessante—vou querer ler mais um pouco!

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.

Join 135 other followers

%d bloggers like this: