Rick Valicenti @ ESAD

Na passada (já muito passada) sexta-feira 18 de Abril fui assistir à conferência de Rick Valicenti no Auditório da ESAD. Finalmente! depois da enchente da Paula Scher…)

Como já suspeitava, desta feita o auditório estava mais vazio. Ou melhor, o auditório acabou por encher, mas enquanto a conferência começava e não começava, quem estava à espera cá fora eram os resistentes do costume. Entre eles os Profs. e Designers Eduardo A., Dino S., Marta M., Susana F.,os Designers Andrew H. (claro!…), Nuno C., Ana C., Ana F., Luís C., Sérgio C., alguns alunos das Belas Artes (como o César A.), outros da ESAD (desculpem não conhecer ninguém pelo nome),… mas já me estou a alongar.

Isto para dizer que como tem vindo a ser hábito nos últimos anos, as conferências da ESAD chamam muita gente mais ou menos entre a 3ª e a 5ª e depois o público parece reduzir… acredito que isto de deva à euforia dos professores e alunos, mas não me parece que esta inconsistência seja muito boa… não estamos a criar “hábitos saudáveis” no público académico… sei que passo a vida a reclamar para que o Andrew H. arranje um auditório maior para as conferências, mas, no panorama geral, começo a compreender a estratégia.

Por um lado, as conferências são um espaço importante para a reflexão e contacto com outros profissionais, por outro, é sempre bom (nas palavras da Susana F.) ter este momento onde podemos sempre (re)ver algumas caras conhecidas e trocar meia dúzia de novidades… De qualquer forma, vou é começar a pedir um lugar cativo na audiência! Por isso, faço um apelo aquelas pessoas que não tem por hábito ir às conferências de Design –> NÂO VÃO MESMO! NUNCA… Parece-me que o vosso interesse no panorama geral do Design não é o mais sincero e por outro lado não estão a contribuir positivamente. Acima de tudo estão a roubar-me o lugar! Se é só para dizer que foram… digam que sim e depois leiam o post aqui…

Bom, de volta à conferência em questão…

No site da ESAD pode-se ser ler:

Rick Valicenti is the founder and design director of Thirst/Chicago, a communication design firm devoted to art, function and real human presence.

Rick Valicenti provides inspiration to his colleagues and mentorship to a generation of students. In 2006 Rick was awarded the American Institute of Graphic Artists (AIGA) Medal, the highest honor in the graphic design profession, for his sustained contribution to design excellence and development of the profession. Rick is a member of AGI (Alliance Graphique Internationale).

His works are included in the permanent collection of MoMA, The Cooper-Hewitt National Design Museum and the 2006 Triennial, Design Life Now. His clients include the leaders of Chicago’s design and cultural community.

Esta breve resumo não me preparou de todo para o que iria ver e ouvir. A sessão foi uma celebração de dedicação, investigação pessoal através do desenho e design e constante insatisfação através da incessante exploração das ferramentas como meio para atingir novos objectivos.

“Welcome, Superior Design Shool…” – Rick Valicenti a abrir a conferência na ESAD

Logo no início, Rick demonstra grande humor e à vontade com o público com o irónico mas jovial comentário “Welcome, Superior Design School of the world!…” denotando o tom universal, atitude calma e ponderada que apresentou durante a hora da conferência.

Antes de mais, explica que se considera um Designer de Comunicação, ao contrário de outras designações como Designer Gráfico. Uma posição com a qual me tenho vido a identificar progressivamente em detrimento de um simples Designer Gráfico (que considero ter sido a minha formação na FBAUP).

“Communicating 1-1” [one-to-one]

É a missão que coloca para si mesmo: “Desejo ser verdadeiro para ele [cliente] e para os outros” numa perspectiva de se melhorar enquanto pessoa, mantendo-se verdadeiro. A relação/profissão de Designer acaba por ser uma actividade “solitária” em que acabamos por criar peças de comunicação 1-1, Designer para o público, para um público específico, como se de comunicação entre duas pessoas se tratasse.

Logo no início da conferÊncia também afirma o que [me] ficou mais marcado de toda a sessão: Preocupa-se em “explorar de forma contínua as novas tecnologias, coisas novas [new things]: Considera de extrema importância explorar continuamente novas feramentas e perceber o modo como elas podem ser usadas no trabalho que executa. Quer perceber ao mesmo tempo como este trabalho vai mudar devido ao seu uso.

Relaciono-me especialmente com esta faceta de Rick, pois considero esta exploração parte integrante da minha actividade. Profissionalmente foram os meus últimos 4 anos enquanto Técnico de Design da FBAUP, e actualmente luto para me manter actualizado e passar um corpo de conhecimento aos alunos na UA.

Rick afirma que se aborrece facilmente… sente-se enfatuado pelo menos profissionalmente. Compreendo-o… no entanto, alguém com o calibre e portfólio dele custa a acreditar. Quer dizer, na realidade, até é simples de perceber… o portfólio tão variado desde o Type Design ao Motion Graphics deve-se a esse aborrecimento constante e procura de estímulos novos?…

“We are the accumulation of our choices”

Em verdade, confesso que me esqueci porque apontei esta citação… no entanto, estive a rever o Podcast da Debbie MilmanDesign Matters – e agora faz todo o sentido… ele e Milman discutiam como os divórcios, más decisões profissionais e todos os erros que fizerm na vida os trouxe a este ponto… entre outros assuntos de design, claro. Incluindo um rasgado e elogioso prefácio à entrevista por parte de Milman… será que há romance no ar?

Como saber quando parar? [nas decisões de trabalho] São os acidentes e o reconhecimento do valor destes que temos que prestar atenção. Às vezes um bom trabalho não resulta só de eventos controlados… (cá está o reconhecimento do caos e erro novamente… começo a achar que estes tipos são uns fatalistas…)

Outra forma de explorar este valor é tentar ignorar os prazos do trablho… (é uma maneira de começar…) Ainda acerca da exploração dos erros categoriza/classifica-os:

“That mistake you discover” à Place of “rightness”

Acerca da velha máxima minimalista de Chicago no Design: Less is more…

When less is just enough and more is just right!

Refere-se ainda a trabalhos como: WIP Studio e Arik Levy.

Como membro do Design Observer é natural que siga o caminho de autores como Abbot Miller e Stuart Bailey:

Designer as author: sometimes we are the provider.

O Mário Moura – The Ressabiator – tens algumas “considerações sob” este tema (pun intended)

Sem grandes explicações e muito rapidamente apresenta em slides as 10 regras do Design. O que me leva a pensar que a apresentação que mostrou faz parte de uma (série de) conferência(s)

Anúncio de Jornal: Apex (Photo shoot)

Apresentou um projecto pessoal muito interessante – APEX. Consiste num livro de retratos em que inicialmente foram convidadas através de uma núncio de jornal a aparecerem pessoas com X características numa sessão fotográfica.

Página do Interior do Livro APEX

A grande questão é se as pessoas são iguais a mim [RV] se gostam do que eu gosto? Pequena brincadeira entre Rick e Heitor A. considerando um possível projecto de investigação para PhD (lol). A conclusão é que “there is a little bit of me in every model…” J

Resultados do APEX

Livro do Genesis: InDesign + Pepsi + 01

Binary Pepsi…

Pepsi Assets

Apresentou mais um trabalho pessoal. Como os grandes autores que temos vindo a ouvir/observar (Lupton, Maeda, Ortiz,…) o trabalho de investigação/diversão pessoal acaba por ser injectado na actividade profissional e é parte integrante das personalidades de cada um. Parece-me que é inato nestes individuos e motor do seu sucesso. Mas adiante. O trabalho apresentado é a paginação (em InDesign) do Livro do Génesis… em latas de coca-cola! e EM BINÁRIO!!! O que obviamente apelidou de “Intelligent Design”… nesta fase, afirmou que quando atingimos esta fase do discurso e as pessoas percebem… Design Geek Talk… lolololol

Referência ao filme Powers of 10 (Film) de Charles and Ames e a toda a publicidade que encontra no caminho do Aeroporto… algo rebuscado, mas com alguma piada…

Toda a publicidade dos EUA entre a casa de RV e o Aeroporto

Infinity @ vllg.com

Referência ao tipo Infinity Typeface que o acolheu no Aeroporto do Porto. Ficou muito contente por ver a aplicação tão inesperada e recepção tão agradável…

Páginas do Catálogo Wright20

Mais uma vez, intelligent design. Desta feita, as latas de coca-cola foram re-aplicadas a um extenso catálogo de livros Wright20.com.

A partir daqui as minha notas são escassas e crípticas… Já devia estar cansado (não é fácil ter uma máquina de 900gr. numa mão e estar a tirar notas num Moleskine com a outra…) Transcrevo o que (acho que) escrevi,… se fizer sentido para alguém…

A importância da expressão (?) aplicada ao designà Google images…(?) Sinaléticas de cumplicidade / simplicidade/ complexidade???

Finalmente, ainda sobre a importância do trabalho pessoal e a importância do desenho como pesquisa e reflexão apresenta uma série de desenhos a tinta da china (sumi ink) em que explora as formas [belas] da natureza como as algas e as árvores. A conferência acabou num tom algo Zen e acho que foi a enorme quantidade de desenhos que acabou por matar a vontade/curiosidade do público em colocar perguntas…

No final eu e o Paulo C. ainda tivemos a oportunidade de trocar algumas ideias sobre a importância da exploração da tecnologia com Rick.

Equanto isso, RV demostrava como faz uso do Scriptographer para contruir as suas peças gráficas.

Enfim, uma conferência verdadeiramente inspiradora. Um designer gráfico que finalmente valida a minha posição, o meu rumo dentro das artes visuais – a exploração de tecnologias (como a programação) tendo em vista a maior aproximação do resultado final gráfico ao conceito original.

Bravo!

Mais sobre o Rick:

For over twenty-five years, Rick Valicenti has practiced graphic design from an experimental, deeply personal point of view, while at the same time running a successful design firm that makes business itself a mode of experiment: http://triennial.cooperhewitt.org/designers/rick-valicenti

Emotion as Promotion: A book of Thirst

Edited by Rick Valicenti, this book of Thirst is a contemporary commentary on the state of contemporary communication design as evidenced in the professional practice from both Rick’s public and personal realms. http://www.emotionaspromotion.com/

http://www.underconsideration.com/speakup/archives/001454.html

Thirstype

Thirstype is an international group of typographers creating and publishing new typefaces. The foundry was launched in 1993 by Rick Valicenti to publish his font Bronzo, and was soon expanded to present the work of Barry Deck, Magnus Rakeng, Paul Sych, Patric King, Chester, Frank Ford, Patrick Giasson, Claudio Piccinini, and Hugo d’Alte. http://www.vllg.com/Thirstype/

http://rickvalicenti.com/

http://www.3st.com/

P.S.: Foi notícia (curta) no Destak de Quarta-feira 16 de Abril:

Author: Pedro Amado

Professor Auxiliar na Universidade de Aveiro a leccionar Design de Interação

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s