Como redigir Resumos e Abstracts

clarkyoung-unsplash-com
Grinding & compressing © Clark Young, Unsplash.com

Nos últimos tempos, tenho dedicado mais energia à escrita e revisão do que ao desenho. Os trabalhos e dissertações de alunos acumulam-se, mas de uma forma geral, as dúvidas são sempre as mesmas. Neste sentido, aqui fica mais um artigo sobre como preparar e redigir este tipo de trabalhos.

Neste artigo falamos de como redigir resumos.

Um resumo é uma componente essencial de qualquer trabalho. Tal como o título, deve ser redigido no início deste (antes da investigação) para auxiliar a orientar o trabalho. No início a redação assume uma forma genérica e difusa (declarando as intenções, o que vai ser e o que não vai ser o trabalho), e deve ser revisitado sempre que possível ao longo do trabalho. No final, deve ser revisto e reescrito para resumir o trabalho, fases, metodologia e resultados de forma fiel e sintética, salientando as principais contribuições.

Se o resumo não for interessante, ou não acrescentar nada ao que o leitor já saiba, para quê continuar a ler o trabalho?

O primeiro aspeto a ter em conta é: isto é um resumo! Não incluir “palha” s.f.f. … O Resumo deve ser o mais sintético possível. Normalmente os resumos são redigidos com aproximadamente 300 palavras. Na conferência que temos organizado – o Encontro de Tipografia –, temos pedido resumos de 500 palavras. isto porque, com menos é fácil avaliar a qualidade de escrita. Mas torna-se mais difícil avaliar a revisão de literatura, métodos, e resultados… Por isso, querem-se resumos curtos, mas com uma redação simples e inteligível para ser lido de forma rápida e eficaz.

O segundo aspeto a ter em conta é: isto é um resumo! Não é uma declaração de intenções. Sei bem que em cima recomendei a escrita prévia para orientar o trabalho. Mas, o objetivo de um resumo é resumir algo que existe e que já foi feito. Por isso, rever bem o português e evitar expressões do tipo: “o objetivo será…”

O terceiro aspeto a ter em conta é: isto é um resumo! Deve retratar as dimensões mais importantes do trabalho efetuado. Nomeadamente a metodologia, e os principais resultados e conclusões obtidas. Lembrem-se que um resumo não é nem um romance, nem um filme… não guardem a melhor parte para o fim (ninguém vai ficar para ver…).

Um resumo, resumidamente (pun intended!), deve incluir:

  • Definição dos objetivos (o que foi investigado e porquê?);
  • Descrição dos métodos (o que / como é que foi feito?);
  • Síntese dos principais resultados (o que foi descoberto?);
  • Principais conclusões e significado das mesmas (o que é que os resultados significam?);

Sem mais demoras, aqui fica o modelo da estrutura do resumo que tenho usado e que recomendo. Os modelos em formato Word (com estilos de parágrafo aplicados) estão disponíveis para consulta e download no site da conferência (em Português e em Inglês). Tal como no passado, comentários ou sugestões são bem-vindos.


Objetivo

Os autores devem iniciar o resumo declarando o objetivo do trabalho, ou da investigação, de forma clara e explícita. Se possível, fornecer detalhes sobre o âmbito, ou o contexto de aplicação do trabalho ou da investigação, entre outros dados que uma melhor compreensão do trabalho, processo ou resultados obtidos.

Problema

De seguida, os autores devem clarificar o problema através da enunciação das perguntas e hipóteses, ou das proposições que estruturam o desenho do trabalho. Seguindo-se a identificação dos principais conceitos teóricos, ou operacionais, num breve enquadramento teórico, identificação dos autores, obras ou da literatura relevante. Ou ainda de outra forma de identificação e levantamento do estado da arte da área temática em questão.

Metodologia

Independentemente de se tratar de um trabalho de investigação mais teórico, ou um relatório ou projeto de cariz mais prático, os autores devem identificar a abordagem (qualitativa, quantitativa, mista, etc.), o tipo de plano ou Research Design (experimental ou quase-experimental, cross-sectional, não-experimental ou descritiva, etc.). Seguindo-se uma breve descrição da metodologia adotada (survey, estudo de caso, etnografia, teoria fundamentada, investigação-ação, investigação de desenvolvimento, etc.).

Devem ser sucintos na explicação, mas, ao mesmo tempo, fornecer um grau de detalhe suficiente para se compreender de forma clara quais são os fatores ou variáveis em análise no estudo. Quem foram os participantes (ou como foi constituída a amostra), caraterizando-os brevemente. Quais foram os materiais e os instrumentos de recolha de dados utilizados (inquéritos, entrevistas, grupos de foco, análise documental ou de conteúdo, observação estruturada, avaliação heurística, etc.), a sua operacionalização e os principais dados e resultados obtidos na aplicação destes instrumentos.

Conclusão

O resumo deve apresentar uma síntese das principais conclusões, assente numa análise crítica dos resultados obtidos, ou que se espera obter (caso se trate de um projeto ou investigação ainda em curso). Nesta análise, é importante clarificar as principais limitações ou constrangimentos. E identificar as implicações destas conclusões, como os desafios e oportunidades de aplicação futura (dos resultados, ou da metodologia), em contextos diferentes, com públicos diferentes, ou com qualquer outra variante da metodologia ou variáveis utilizadas no estudo.

Contribuição

Os autores devem deixar de forma clara de que forma é que o trabalho proposto fornece uma contribuição relevante para a área de estudo, para o contexto (académico, empresarial) onde está inserido e para a sociedade em geral.


Este modelo de resumo foi baseado nas minhas notas pessoais e no modelo construído para o 6.º Encontro de Tipografia. Mas deve a sua origem especialmente às recomendações da Anabela Mesquita, co-autora deste excelente livro:

screenshot-2016-10-13-09-57-13

Correia, A. M. R., & Mesquita, A. (2013). Mestrados e Doutoramentos. Porto: Vida Económica.

Já o tenho recomendado noutras ocasiões. Recomendo a COMPRA e a leitura atenta de todos os que iniciam um trabalho de académico!

E há-de ser motivo para fazer uma entrada especial neste blogue, sobre livros essenciais para a investigação, em breve.

 

Author: Pedro Amado

Professor Auxiliar na Universidade de Aveiro a leccionar Design de Interação

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s